fbpx

Elis: emblemática cantora brasileira

Elis Regina, emblemática cantora brasileira, era conhecida pelo perfeccionismo, pois era incansável na busca da melhor execução de cada música, tanto por parte dela quanto da banda. O temperamento rendeu-lhe o apelido “Pimentinha” dado por músicos e jornalistas. Nascida em Porto Alegre, em 1945, Elis começou a cantar profissionalmente aos 12 anos. Após sua apresentação num programa infantil de televisão chamado Clube de Guri, passou a regularmente no programa e se tornou uma celebridade local. E, aos 13 anos, assinou seu primeiro contrato com uma gravadora.  

Aos 15 anos, mudou-se de Porto Alegre para o Rio de Janeiro, onde gravou três discos. Os discos tiveram boa aceitação e Elis se tornou uma estrela adolescente. Em 1963, aos 18 anos, mudou-se definitivamente para o Rio com seu pai para seguir a carreira de cantora. Em pouco tempo já era muito requisitada para se apresentar em programas de televisão. Ela aparecia como um contraponto à suavidade da Bossa Nova, movimento que era grande sucesso na época, cantando em tons mais altos e ritmos mais acelerados. Além disso, sua presença de palco era dinâmica e sem a menor pretensão de sofisticação.

Arrastão

Em 1965, Regina cantou a música “Arrastão” no I Festival de Música Popular Brasileira, no Rio de Janeiro. Há quem diga que essa apresentação foi decisiva para a carreira de Elis. Nos momentos finais da apresentação, ela posou como que crucificada em referência a Jesus Cristo, com lágrimas escorrendo pelo rosto. Daquele momento em diante, a popularidade de Elis cresceu vertiginosamente e, aos 21 anos, ela passou a ser a cantora mais popular do país. Conquistou o respeito das principais compositoras brasileiras, que faziam fila para ter suas composições gravadas por Elis Regina. 

Perseguição velada

Tal qual artistas como Caetanos Veloso e Gilberto Gil, mesmo que em menor medida, Elis se posicionou contra a ditadura militar que se impunha ao Brasil da época. Como era mais moderada e gozava de enorme popularidade, não chegou a ser abertamente perseguida como Caetano e Gil. Mas foi vítima de formas veladas de perseguição, como ser forçada a cantar o hino nacional brasileiro em uma cerimônia oficial dos militares. Ela chegou a ser criticada por outros artistas mas, anos depois, foi revelado que ela foi ameaçada de prisão caso se negasse a cantar. De acordo com relatos do seu marido, ela temia a prisão, sobretudo, por ser mãe de uma criança pequena. 

Mesmo assim a carreira de Elis seguia bem sucedida pela década de 1970 e chegou a gravar até em parceria com Tom Jobim em Los Angeles (EUA).  O álbum “Elis & Tom” foi aclamado pela imprensa e por outros músicos como um dos maiores discos populares brasileiros já produzidos. No entanto, seu sucesso foi tragicamente interrompido em janeiro de 1982. Aos 36 anos, sofrendo de depressão e adição, Elis faleceu por intoxicação decorrente de álcool e cocaína. O Brasil perdia ali Elis, emblemática cantora e dona de uma das vozes mais marcantes mais marcantes da sua música. 

Alguns dias após sua morte, foi realizado um concerto em sua homenagem em São Paulo. Mais de 100.000 pessoas compareceram para prestar suas condolências à mestra Elis Regina, cujo trabalho continua a emocionar gerações.

 

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Cadastre-se e assista a 4 aulas gratuitas exclusivas

Fechar Menu

APRENDA COM UMA DAS VOZES MAIS ACLAMADAS DA MÚSICA BRASILEIRA

Liberamos gratuitamente 4 aulas do curso para você viver esta experiência

Deixe aqui seus dados para ter acesso às 4 aulas gratuitas

  • Seus dados estão seguros